segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Máquinas II

E perguntam vocês (e eu) porque é que me fui inscrever num ginásio...

Isto de já ter feito dois papéis em que tive de me despir em palco ou fazer de criança hiper-activa que salta e corre e faz montanhismo num cenário de 5 metros, mais coisa menos coisa, fez-me compreender que mesmo que se seja um bom cantor, se não se trabalha o corpinho e a resistência está-se feito ao bife.

Não há dúvida que, de momento, os encenadores têm grande poder. E muitos são encenadores de teatro e cinema que querem cantores que sejam verosímeis ("that look the part") e se um pouco de maquilhagem pode fazer muito, vestidinhos pequeninos pretos em Deborah Voigts já nem tanto. Sim, porque isto de mudar os fatos pré-concebidos é uma grande chatice e arruina a visão divina do divino encenador.

2 comentários:

Magna disse...

Tens toda a razão! Por estes lados é andar a pé e Tai-chi!:)

Joana disse...

Boa! Força nisso! A moda do Tai-Chi não pegou por cá. Aqui é mais Ioga ou Pilates. Tai-Chi parece-me mais a minha cara: artes marciais em câmara muuuito leeenta. he he