quarta-feira, 10 de maio de 2006

Os Grandes

Há tanto tempo! Glyndebourne tira-me tempo e vontade - acho que nunca estive tanto tempo sem actualizar o bloguinho.

As récitas começam na sexta 19. Os solistas são todos absolutamente fabulosos. Falo das produções do Così fan tute e Die Fledermaus porque ainda não conhecemos os outros.

Die Fledermaus
Os ensaios de produção para Die Fledermaus têm sido bastante lentos, mas que privilégio que é conviver diariamente com pessoas como Tom Allen, Alan Opie, Jonathan Veira, Robert Tear, Bonaventura Bottone! Não conhecia a Pamela Armstrong, que faz de Rosalinde, e estou completamente apaixonada por esta voz. Ela prometeu dar-me umas aulinhas.

É muito engraçado ver pessoas com o gabarito e experiência (para não dizer idade...) do Tom Allen, do Alan Opie, do Jonathan Veira ou do Bob Tear a não levarem nada a sério, qual crianças a portarem-se mal quando o professor vira as costas.

Hoje tivemos a sitzprobe. Foi um autêntico concerto. Todos sentados na plateia (uma colocação um bocado estranha para uma sitzprobe, mas o Vladimir assim o quis). Que maravilha ouvir qualidade destas! A London Philharmonic Orchestra, sob a batuta do, agora meu amiguinho!, Vladimir Jurowski, é completamente "mind blowing"! E ouvir os solistas, hoje bem mais concentrados na música e na voz, deram performances que realmente justificam as suas visitas constantes às grandes casas de ópera. E nós, humildes jovens coralistas-aspirantes-a-solistas, ali sentados e misturados entre os Grandes, babados de orgulho.

Così fan tutte
O Così é mais calmo - o coro não tem quase nada para fazer, logo não há tanta interacção com os solistas e não os conhecemos tão bem. São todos altos, bonitos, bons actores e cantores. Tanta perfeição até chateia! No bom sentido, está claro. O DVD deste ano vai ser desta produção.

Cenários e guarda-roupa de primeiríssima qualidade. Tudo feito "from scratch" às nossas medidas, incluindo os sapatos. Alguns dos materiais utilizados são de época, vindos de França (muito chique). Eu visto uma saia com tecido vindo directamente do final do séc. XVIII (que, pela grossura, devia ter sido uma manta para cama). Nem posso imaginar quanto dinheiro deve correr nesta companhia. É realmente impressionante. Mas não é de estranhar - os bilhetes custam entre cerca de 90€ e 230€, se fiz bem as contas!

Esta é a minha roupa para o Così. Peço desculpa pelos anacronismos que me rodeiam...

1 comentário:

Rodrigues disse...

Ena, que linda! :)