sexta-feira, 24 de março de 2006

Amizades

Fui ver as cenas de ópera dos do primeiro ano, despedi-me emocionadamente do chefão e passei as 5horas e meia seguintes no pub.

No pub, não fiquei tão emocionada como pensava que ia ficar. Nem tirei fotografias. Ao fim de quase 6 anos, estava à espera de partilhar lágrimas de adeus e saudades, mas, na verdade, vai tudo ficar por Londres mesmo - um encontro está apenas a um toque de telemóvel.

Há dois e três anos atrás, quando terminei a licenciatura e o mestrado, é que muitos dos meus amigos se foram para os respectivos países. É um problema quando se tem colegas de nacionalidades diferentes... Muitos não vejo desde então. Outros aparecem muito de vez em quando. Nessa altura é que devia ter partilhado as tais lágrimas de adeus e saudades, mas acho que não me dei conta: uns iam embora, outros, incluindo eu, ficavam na mesmo vida de estudante. Para os que ficavam, nada parecia que ia mudar.

A internet é um bom meio para manter o contacto, mas até assim as relações vão-se dissipando no tempo. De "amigos" passa-se a "conhecidos". O mesmo aconteceu com os portugueses.

Não há dúvida que mesmo as amizades mais verdadeiras, com a distância do espaço e do tempo, se não são regadas, morrem. E ambas as partes são planta e regador, logo ambas têm culpa no cartório!

1 comentário:

Bixu disse...

Venho regar um cadito...;)